segunda-feira, 22 de maio de 2017

Pleurothallis grobyi





O Pleurothallis grobyi destaca-se pela bela folhagem da sua planta, de folhas pequenas e carnudas, assim como também pelas minúsculas flores (4 mm), com detalhes incríveis, se vistos à lupa, mas muito difíceis de fotografar.

Família: Orchidaceae         Género: Pleurothallis        Espécie: grobyi

Habitat natural: Espécie epífita, de zonas sombrias, em florestas cujas altitudes podem variar entre os 60 e os 3200 metros. Pode ser observada numa vasta zona da América Central e do Sul,  em países como o México, Belize, Guatemala, Nicarágua, Costa Rica, El Salvador, Colômbia, Venezuela, Equador, Peru, Guiana Francesa, Suriname, Guiana e Brasil.

Cultivo: Sendo muito variável a altitude em que se pode manifestar no seu habitat natural, tanto pode ser cultivada em ambiente temperado- quente, como frio.
Esta minha planta está montada numa pequena placa de cortiça, na estufa aquecida, em local bem sombreado, com elevado grau de humidade e boa ventilação.
Rego abundantemente nas estações mais quentes e secas do ano. Se o ambiente de cultivo tiver, no Inverno, um grau de humidade à volta dos 70%, basta regar esporadicamente nessa altura do ano.
Fertilizo cerca de duas vezes por semana, com uma dose de baixa concentração, do Akerne Rain Mix. Durante o Inverno suspendo as fertilizações.
Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Maxillaria sanguinea




Esta Maxillaria sanguinea é uma planta de pequeno a médio porte, com belíssimas flores, que não ultrapassam os 1,5 a 2 cm de envergadura, levemente perfumadas (aroma de frutos) e com a duração de várias semanas.
Tal como acontece com todas as espécies do género Maxilaria, as flores são solitárias (apenas uma por haste), podendo, contudo, uma planta adulta produzir imensas flores numa só época.

Família: Orchidaceae        Género: Maxillaria        Espécie: sanguinea

Habitat natural: Esta é uma espécie epífita, desenvolvendo-se sobre os ramos maiores da árvores, em florestas chuvosas e húmidas, entre os 50 e os 900 metros de altitude, na Costa Rica e no Panamá.

Cultivo: Sendo uma planta oriunda de climas tropicais de baixa e média altitude, exige ambientes de cultivo temperados e ou quentes, todo o ano sombreados, com alto teor de humidade e boa ventilação.
Está num pequeno vaso (cerca de 10 cm de diâmetro) em substrato para epífitas, composto maioritariamente por casca de pinheiro média, argila expandida, perlite e alguma cortiça. Opcionalmente também pode ser adicionados, em pequenas percentagens, alguns bocados de fibra de coco.
Rego apenas o necessário para manter o substrato sempre húmido o ano todo. Este nunca deverá estar encharcado. Quando mostrar sinais de degradação deve ser substituído.
Fertilizo com Akerne Rain Mix, cerca de  duas vezes por semana, sempre com apenas metade da dose indicada pelo fornecedor, para cada litro de água. Durante o Inverno suspendo as fertilizações, retomando-as apenas no início da Primavera.

https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Dendrobium loddigesii




O Dendrobium loddigessii é uma espécie de pequeno porte, quase miniatura, com flores consideravelmente grandes e ricamente coloridas, sendo mais uma espécie deste vasto género que se pode adaptar bem em climas frios como o nosso.

Família: Orchidaceae        Género: Dendrobium        Espécie: loddigesii

Habitat natural: Espécie epífita, oriunda do Laos, do Vietname, de Hong Kong, assim como de diversas outras províncias da China. Pode ser observada em florestas muito húmidas, de coníferas, em altitudes que podem oscilar entre os 1000 e os 1500 metros.

Cultivo: Esta planta está montada numa placa de cortiça, com algum musgo. Ambiente sombreado e temperado, com elevado grau de humidade e boa ventilação.
Rego constantemente nas estações mais quentes e secas, passando por um período de repouso prolongado durante o Inverno.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix aproximadamente duas vezes por semana, sempre com doses de baixa concentração. Durante o Inverno suspendo as fertilizações.

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Euchile citrina





Euchile citrina é uma espécie pouco conhecida e pouco difundida em cultivo, talvez pela sua reputação de ser uma planta difícil de manter, devido a algumas "exigências" peculiares. A World Checklist of Selected Plant Families (KEW) apresenta como nome aceite a designação de Prosthechea citrina, tendo eu optado por manter o sinónimo, mais conhecido ainda nos meios orquidófilos.
Pela sua beleza e aroma (de citrinos) inigualáveis, assim como pela sua raridade, vale bem a pena tentar o cultivo e ter a oportunidade de ver, ao vivo, esta magnífica floração, assim como as suas belas folhas verde-acinzentadas.

Família: Orchidaceae         Género: Euchile         Espécie: citrina

Habitat natural: Esta é uma espécie de pequeno porte, endémica do centro e do sul do México, onde se desenvolve  sobre as árvores como planta epífita, de forma pendente, nas florestas mistas de carvalhos e pinheiros, em altitudes que podem oscilar entre os 1300 e os 2600 metros.

Cultivo: Como no meio natural se desenvolve sempre de forma epífita, eu decidi fazer a sua montagem numa placa de cortiça, mantendo a planta, ao contrário da grande maioria das outras orquídeas, numa posição pendente, tentando reproduzir  a sua forma natural de sustentação.
Sendo proveniente de altitudes elevadas, pode e deve ser  cultivada num ambiente temperado-frio, embora evitando temperaturas extremas no que toca às mínimas e às máximas.
O local deverá ser sempre ligeiramente sombreado, muito bem ventilado e com elevado grau de humidade, sobretudo na Primavera e Verão, altura em que aprecia lugares quentes e húmidos. No Inverno requer um período de repouso, com um ambiente fresco e algo seco.
De acordo com estes princípios, eu rego com bastante frequência nos períodos do ano mais quentes e secos e reduzo drasticamente no Inverno. Evito que as raízes fiquem molhadas por períodos prolongados de tempo.
Fertilizo com o Akerne Rain Mix, duas a três vezes por semana, com doses de baixa concentração (metade da dose indicada no rótulo), suspendo as aplicações durante o Inverno, para assim respeitar o período de repouso, aspeto importante para ter florações garantidas no ano seguinte.

https://www.facebook.com/americo.pereira.39904

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Dendrobium platygastrium





O Dendrobium platygastrium é mais uma espécie invulgar, deste magnífico género. Destaca-se não só pela beleza e singularidade das suas flores, como também pela forma curiosa e exótica  da planta (pseudobulbos e folhas). Sendo uma planta de pequeno porte, é fácil de acomodar em qualquer espaço.

Família: Orchidaceae        Género: Dendrobium        Espécie: platygastrium

Habitat natural: Esta é uma espécie epífita, que se desenvolve em habitats entre os 0 e os 1400 metros de altitude. Pode de ser observada sobre as árvores, em zonas pantanosas e ou junto de cursos de água, em florestas densas e com altos índices de humidade. É oriunda da Nova Caledónia, da Nova Guiné e das Ilhas Salomão e Vanuatu.

Cultivo: É uma espécie que se cultiva bem montada e suspensa. Este meu exemplar está montado numa pequena placa de madeira, suspensa e pendente.
Está na estufa temperada quente, em local com boa luminosidade, mas sombreado, com boa ventilação e elevado grau de humidade. As temperaturas, mesmo no Inverno, deverão ser sempre superiores a 10-12 graus.
Se cultivada montada, exige regas frequentes durante as estações mais quentes e secas do ano, reduzindo consideravelmente no Inverno, desde que o grau de humidade do ar seja elevado.
Fertilizo com Akerne Rain Mix, duas a três vezes por semana, sempre com doses de baixa concentração (cerca de metade da dose indicada pelo fornecedor). No Inverno suspendo a fertilização e proporciono um período de repouso da planta.

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Cymbidium insigne





O Cymbidium insigne é uma espécie de grande porte, com hastes florais que se destacam bem acima da planta e que, apesar da sua facilidade de cultivo, não é muito visto na maioria das coleções deste magnífico género. Tem sido, ao longo dos anos, bastante utilizado em diversas hibridações, tanto pela sua beleza, como pelo seu porte considerável.

Família: Orchidaceae       Género: Cymbidium        Espécie: insigne

Habitat natural: Esta é uma espécie terrestre, que se desenvolve sobre solos planos e arenosos e ou entre rochas, à sombra de arbustos ou árvores, em florestas  montanhosas e nebulosas, em altitudes entre os 1000 e os 2600 metros. É nativo do continente asiático, encontrando-se distribuído pela província de Hainan (China), pelo Vietname e pela Tailândia.

Cultivo: É cultivado na estufa fria, onde as temperaturas descem até perto dos zero graus. O ambiente é sombreado, mas com boa luminosidade, bem ventilado e com elevado grau de humidade.
Utilizo um vaso médio (cerca de 15 cm de diâmetro) e um substrato composto por uma mistura para epífitas e para terrestres (50% de substrato para Cymbidium, do que há à venda no mercado, acrescentado mais 25% de casca de pinheiro média e 25% de argila expandida).
Rego de forma a manter o substrato sempre húmido, o ano todo, evitando contudo os encharcamentos. Pode secar ligeiramente entre regas.
Como fertilizante utilizo o Akerne Rain Mix, com duas aplicações semanais, em doses de baixa concentração. Durante o Inverno deixo de fertilizar.

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia

terça-feira, 25 de abril de 2017

Sarcochilus falcatus





O Sarcochilus falcatus é uma planta quase miniatura com belas hastes florais, compostas por diversas flores, agradavelmente perfumadas. Tal como as Vanda, com as quais é relacionada, apresenta um crescimento monopodial.

Família: Orchidaceae         Género: Sarcochilus        Espécie: falcatus

Habitat natural: Espécie que se pode desenvolver de forma epífita ou litófila, nos Estados de Queensland, New South Wales e Vitória, pertencentes à Austrália, em florestas húmidas e sombrias, situadas em altitudes entre os 100 e os 1400 metros.

Cultivo: Estou a cultivar esta maravilhosa espécie montada uma pequeno troco de madeira, na estufa aquecida, em local bem sombreado, com elevado grau de humidade e boa ventilação. Opcionalmente, pode ser cultivada num pequeno cesto, em casca de pinheiro grossa, argila expandida e alguma perlite.
Como a cultivo montada, rego-a quase diariamente e com abundância nas estações mais quentes e secas do ano e uma a duas vezes por semana no Inverno, de acordo com as condições de humidade do ar. Se cultivada em vaso ou cesto não necessita de regas tão frequentes.
Fertilizo, em média, duas vezes por semana, com o Akerne Rain Mix, sempre em doses de baixa concentração (cerca de metade da dose indicada pelo fornecedor). No Inverno deixo de aplicar fertilizações. Para quem a cultiva em ambientes mais secos, poderá continuar as aplicações nesta época do ano.

Referências bibliográficas: Internet Orchid Species Photo Encyclopedia